Os candidatos invisíveis

A corrida eleitoral norte-americana, ao contrário do que aparentava na grande mídia, envolvia mais do que somente dois “cavalos”

Ariane Olsenaloha_ani@yahoo.com.br

A grande disputa pela presidência do EUA, sem dúvida, tinha como protagonistas o democrata Barack Obama e o republicano John McCain. Porém, o enfoque midiático nestes dois candidatos foi tão intenso que o mundo que observava as eleições foi impedido de ver o cenário completo. Não eram dois os candidatos à presidência norte-americana, mas 14. Sim, 14 – dos quais 12 são pertencentes a partidos miúdos demais para chamarem muita atenção. Estes partidos pequenos são reunidos no que se chama de “terceiro partido”.

Dos 12 concorrentes restantes – excluindo Obama e McCain –, somente 4 tinham o poder de influenciar as eleições. Eles são: Ralph Nader (independente)  Bob Barr (Partido Libertário), Cynthia McKinney (Partido Verde) e Chuck Baldwin (Partido da Constituição).

Cédula de votação ilustrativa

Cédula de votação ilustrativa

Ao contrário do Brasil, nos Estados Unidos é possível ser candidato sem atrelar-se a um partido. É o caso de Ralph Nader, candidato que ficou em 3o lugar na corrida eleitoral com 693.644 votos. Nader é advogado e ativista político. Ele concorreu às eleições como candidato independente, sem vínculo com partido nenhum.

Por mais que sejam ignorados pela grande mídia, os pequenos candidatos fazem, sim, a diferença na contagem final. Foram os votos de Nader que prejudicaram Al Gore nas eleições de 2000. Neste ano, foi a candidata Verde Cynthia McKinney que assustou Barack Obama. Cynthia é mulher e negra, e tinha chances de tomar para si os votos dos pacifistas, afro-descendentes e feministas. No entanto, McKinney conseguiu somente o 6o lugar, com somente 150.982 votos.

Outros dois nomes relativamente importantes nas eleições americanas de 2008 são Bob Barr e Chuck Baldwin, apesar de terem feito somente 508.623 e 181.612 votos respectivamente. Segundo o articulista político da revista Newsweek George Will em entrevista para o site Último Segundo,“Barr pode ser (para McCain) o que Ralph Nader foi para Al Gore em 2000: catastrófico”. Já Baldwin era a concorrência de Barr, ambos ex-republicanos com programas de governos muito similares.
Mesmo com dois grandes candidatos e quatro minoritários, quem tornou esta eleição heterogênea foram os três representantes de partidos socialistas – um deles ligado ao partido de Fidel Castro – e o representante do Partido da Proibição, Gene Amondson,pastor que pregava governar com uma rígida moral.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: