Cuidados necessários com a pele devido as altas temperaturas do verão

Como evitar doenças na pele durante exposição ao sol? A dermatologista, Carla Botasso Almeida enfatiza a prevenção

Oriana Dutkaoridutka@gmail.com

Com a chegada de dias mais quentes, típicos do verão, as pessoas acabam se expondo mais ao sol. Seja no lazer ou no trabalho, o calor exige roupas mais leves e curtas, e cuidados mais rigorosos com a pele. Mas, nem sempre esta preocupação é seguida conforme orientam os dermatologistas.

Segundo a Pesquisa Nacional de Controle do Câncer de Pele feita em dezembro de 2007 pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) em Santa Catarina. No estudo, foram investigados 1.413 pacientes, e baseado neste número, apenas 36,6% se expunham ao sol com proteção adequada. Mais de 58% não tinham cuidados mínimos, que são os protetores de fator 15 (FPS).

Esta mesma pesquisa diagnosticou 151 indivíduos com Carcinoma basocelular e 34 com Carcinoma espinocelular, tipos mais comuns de cânceres de pele. O mais grave é o Melanoma maligno, o qual, foi comprovado em 12 pessoas. Segundo a SBD o câncer da pele é o crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Estas células se dispõem formando camadas e, dependendo da camada afetada, teremos diferentes tipos de neoplasias.

O Sul do Brasil é uma das regiões com maior estatística de câncer de pele. O motivo vem da descendência européia. Pessoas de pele clara, olhos claros, com sardas e ruivas são mais sensíveis ao sol, e devem ter um cuidado maior. A Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) elabora todos os anos informativos alertando a população para o uso do protetor solar. A Organização Mundial de Saúde (OMS) espera que ocorra 132 mil novos casos deste tipo de câncer no mundo,

Aumento da incidência dos raios ultravioletas pede proteção

A prevenção primaria pode evitar o surgimento do câncer de pele. E não é difícil fazê-la. Alguma das medidas preventivas estão em evitar a exposição ao sol das 10 às 16 horas, horário de maior incidência dos raios ultravioletas, utilizar filtro solar de no mínimo 15 FPS, o uso de óculos e chapéus com trama juntas, e guarda-sol feitos de lona e algodão. Um conjunto essencial para prevenir a agressão causada pelo sol.

Pele bronzeada é sinal de agressão à pele. Num esforço para aumentar a proteção contra a radiação solar, a pele produz mais melanina, e, como conseqüência, há escurecimento da pele. Ao mesmo tempo em que o bronzeado se desenvolve, já ocorreu dano permanente nas células. Apesar da pele amorenada pelo sol ser uma indicação de beleza para os brasileiros, a SBD adverte: a exposição ao sol de forma inadequada pode trazer prejuízos à pele como o envelhecimento precoce, alergias, alteração no sistema imunológico e o câncer.

Formada em Dermatologia pela PUC de Campinas, São Paulo, e especialista na área há sete anos, Carla Botasso Almeida, atende clinicamente em Joinville desde 1994. Carla também fez um alerta importante para um das conseqüências após a exposição imprópria ao sol, que é a vermelhidão da pele. Segundo a dermatologista isso já é sinal de queimadura solar de primeiro grau, e não bronzeamento. Se esta agressão à pele foi acometida gradativamente poderá resultar futuramente em algum tipo de neoplasia de pele.

Confira mais informações sobre os cuidados com a pele no site: www.sbd.org.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: