Na internet o rádio é sem fronteiras

Nas plataformas digitais, o rádio de Joinville atinge número ilimitados de ouvintes que têm a possibilidade de interagir diretamente na programação.

Linda Tomelin – linda@fm89.com.br

Com o advento da tecnologia, o rádio tem procurado se adaptar para conquistar ouvintes multimídia. O que parecia uma ameaça, tornou-se um aliado. O surgimento da internet, com suas facilidades musicais, gerou muitas especulações sobre o fim do rádio. Porém, as rádios conquistaram seu espaço e a fidelidade de internautas e ouvintes de todos os continentes. Sem o ambiente digital isso não seria possível.

Em Joinville, segundo o presidente do sindicato dos radialistas, José Eli Francisco, 65 anos, há cinco rádios FM: Atlântida, Colon, Floresta Negra, Jovem Pan e Itapema. As cinco emissoras têm portal na internet e disponibilizam aos ouvintes internautas a rádio online.

A Colon FM tem seu site desde 2005. Além da rádio online, o portal tem a história da emissora, programação, links de fotos e vídeos; em que, curiosamente, não há vídeos. A interação com o internauta se dá em quatro possibilidades: peça sua música, mural (as mensagens postadas ficam expostas), enquete – avaliando a programação (boa, ótima ou excelente) e entre em contato. A página tem o link para adicionar o ouvinte ao msn da emissora e a comunidade do orkut. Para João Carlos Duriex, 49 anos, coordenador artístico da Colon FM, o site permite uma maior proximidade da rádio com o ouvinte.

No site da Floresta Negra o que chama atenção é o link de publicidade é uma maneira de vender espaço que tem riscos, na avaliação de Augusto Almeida, 32 anos, formado em sistemas de informação.”A poluição visual em um site pode ser sinônimo de poucos acessos, a página deve saber equilibrar propaganda e atrativos de uma forma que não canse quem estiver navegando”, comenta o analista de sistemas.

Além da mesma interação que a Colon oferece, a Floresta Negra também disponibiliza notícias em tempo real (feitas pelo núcleo de jornalismo), o link de busca, Newsletter (para receber as novidades por e-mail) e um blog de Ana Paula Peixer. A rádio online é acessada diariamente por 300 internautas que segundo Rejane Gambin, 41 anos, gerente de jornalismo, são de todos os cantos do planeta. “Temos ouvintes de Portugal, Japão, Alemanha e África. Só a internet para propor essa acessibilidade”, garante.

Para rádio ser acessada via internet é utilizado streaming de áudio (pacote de informação que é enviado para cada ouvinte que se linkar). Cleber Luiz Fiorentin, 47 anos, gerente da Microum – empresa que vende o programa, cobra R$ 1 mil pela implantação e desenvolvimento do player. Para Fiorentin, a internet proporcionou uma revolução para o meio rádio. “As rádios online estão democratizando a maneira de fazer rádio, e o acesso a elas está cada vez mais comum e facilitado”.

Anúncios

Uma resposta

  1. […] Na internet, o rádio é sem fronteiras Com a digitalização do meio de comunicação, as rádios conquistam fidelidade, proximidade com seus ouvintes e mais participações na programação. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: